CCATES

Eficácia e segurança de rituximabe no tratamento de linfoma não Hodgkin de células B

PTC 02/2012

DOI: 10.13140/2.1.4533.0723

Autores: Juliana de Oliveira Costa, Lívia Lovato Pires de Lemos, Augusto Afonso Guerra Júnior, Francisco de Assis Acurcio

RESUMO EXECUTIVO

Intensidade das recomendações: Fraca a favor da tecnologia.

Tecnologia: Rituximabe.

Indicação: Linfoma não Hodgkin (LNH) de células B, CD20 positivo.

Caracterização da tecnologia: Anticorpo monoclonal que se liga a uma proteína da superfície celular denominada CD20 expressa em linfócitos B.

Pergunta: Rituximabe é mais eficaz e seguro que o tratamento e a manutenção convencionais em pacientes portadores de LNH indolente e agressivo de células B?

Busca e análise de evidências científicas: Foram pesquisadas as bases The Cochrane Library, Centre for Reviews and Dissemination, Tripdatabase, Medline e LILACS. Incluíram-se revisões sistemáticas (RS) e ensaios clínicos randomizados (ECR) que comparassem esquemas terapêuticos contendo rituximabe versus esquemas livres de rituximabe para o tratamento de LNH de células B. Avaliações de Tecnologias de Saúde (ATS) foram pesquisadas em sites de agências nacionais e internacionais. A qualidade da evidência foi avaliada pelo sistema GRADE.

Resumo dos resultados dos estudos selecionados: Foram selecionadas 13 RS, oito ECR e seis publicações em ATS. De maneira geral, foram encontrados benefícios de aumento da sobrevida global em dois a cinco anos, acompanhado de maior incidência de eventos adversos graves, como granulocitopenia e leucopenia, porém não refletindo em aumento de infecções e mortes. Os estudos primários incluídos apresentaram limitações metodológicas importantes que diminuíram a qualidade da evidência e o nível de recomendação.

Recomendações: As recomendações referem-se a pacientes com idade superior a 18 anos, HIV-negativos, portadores de LNH de células B, CD20 positivos. Em consonância com a Portaria SAS/MS N° 621, de 5 de julho de 2012, recomenda-se a utilização de rituximabe em associação à quimioterapia CHOP como tratamento de primeira linha para o LNH agressivo do tipo difuso de grandes células B estádios II-IV. O rituximabe também é recomendado em associação ao esquema CHOP como tratamento de segunda linha. Para pacientes com LNH indolente do tipo folicular estádio III ou IV, o rituximabe é recomendado i) em associação à quimioterapia para pacientes previamente tratados ou não; ii) em monoterapia para a manutenção do tratamento em pacientes que responderam à segunda linha de quimioterapia.

Adicionar Comentário